Para receber novidades, inscreva-se:

Obrigado pelo contato!

Este é um blog de participação espontânea e colaborativa.

As opiniões aqui emitidas não refletem o pensamento da Editora.

Causa perdida

Por Paulo Pazz



Santo Antônio, vá chamar São João para decidirmos a situação daquele casal, Castro e Virgínia.

Mas, São Pedro, já não ficou decidido que nós não iríamos mais interferir? Que eu me lembre, é para deixarmos as coisas rolarem. Aquele Castro não se ajuda de jeito algum. Nem ele, nem Virgínia.

Santo Antônio, Santo Antônio, já lhe disse mil vezes que não é assim que funciona. Não podemos desistir jamais... já imaginou se Jesus desistisse de nós toda vez que se decepcionasse conosco?

Credo em cruz! Cebesta! Ave Maria! – praguejou o santo.

Alguém me chamou? os dois ouviram uma voz doce, saída da nuvem à esquerda e um andar acima.

Não, não, Minha Senhora! Força de expressão! Santo Antônio falou, ajeitando a auréola enquanto cruzava o salão.


Meia hora depois, os três conversavam acaloradamente a respeito do jovem Castro, ainda solteiro, ainda sem par.


São Pedro, eu estou desanimado e chateado por esta perda de tempo. Esta causa é perdida... Tantos casados e enfermos para eu cuidar, além de ter de proteger as gargantas dos cantores e leiloeiros das Festas Joaninas, e nós aqui!

Calma, São João! Lembre-se que não podemos abandonar ninguém. Afinal...

Santo Antônio interrompeu o discurso longo que certamente viria da boca de São Pedro.

São João, que história é essa de Festa Joanina? Você está careca de saber que já não se usa mais essa denominação. É Festas Juninas, certo? Egocentrismo é pecado, viu?

Olha aqui, Santo Antônio!...

São Pedro bate com extrema força no tampo da mesa ovalada. O som ecoou pelo imenso salão. Elevou a voz e chegou bem perto dos outros dois santos.

Vocês dois, tomem jeito e acalmem-se, pelo amor de Deus! Ouçam bem, já está decidido que nós vamos mexer os pauzinhos, sim. Até porque Nosso Senhor está incomodado pelo tanto que o Castro tem dependurado você, Santo Antônio, de cabeça para baixo.

Ok, ok! Para que dia vamos marcar a cerimônia? Penso que o ideal será o dia 13 de junho, dia dedicado a mim, o santo casamenteiro!

Parô, parô e parô! Você acha que está merecendo esse título? Falhou e continua falhando feio com esse casal. Vamos marcar para o dia 24.

São João, bebe um pouco de água benta para se acalmar! De água você entende melhor que todos. Santo Antônio disse com ironia.