Para receber novidades, inscreva-se:

Este é um blog de participação espontânea e colaborativa.

As opiniões aqui emitidas não refletem o pensamento da Editora.

Muié

Por Paulo Pazz



Se perguntarem ao Clarindo Marciano* o que a Mulher representa para ele, certamente dirá assim:


Fio, Muié num representa...

Muié É.

Muié é cumo o orvaio da madrugada,

Ripiano meu lombo quemado;

Muié é cumo a flor do campo

Que de longe a gente vê

E apreceia a cor e o chêro;

Muié é o vento entrano

Pur dibaxo do chapéu

Pra mode refrescá nossas ideia;

Muié é o meu riachim sereno

Qui mata a sede e me dá o pescado;

Muié é cochão maciinho

Adonde eu posso discansá

Da minha luita de todo dia;

Muié é corda de viola,

Ripicano nas pedra, nos morro, nas arve,

Quano a noite cumeça a caí;

Muié é chuva inzonera desceno o morro,

Cantano nos teiado, de noite,

Pra nóis durmi sono mais mió;

Muié é que nem êcho de carro de boi,

Sustentano a carga, e inté a farta dela;

Muié é que nem roça brotano,

Cubrino a terra de verdume e de vida;

Muié é que nem jacá cheio de mio,

Qui a gente tem de cuidá bastante

De modos que nunca vem minguá

Pruvisão no tempo de istio;

Muié é que nem terço

Qui nunca pode fartá nas novena...


Muié é o dedo de Nosso Sinhô,

Fazeno cosca no coração da gente!



*Clarindo Marciano, personagem contador de causos criado por Paulo Pazz.




Autoria



Paulo Pazz é licenciado em Letras pela UFG-CAC, Professor pelo Estado de Goiás e Membro da ACL - Academia Catalana de Letras. Também é revisor e colunista da Revista Portalvip (com circulação em toda região sudeste de Goiás), integrante da Comissão julgadora das Olimpíadas da Língua Portuguesa desde 2014, ator integrante da Cia Express’arte e instrutor de “Contação de Causos" pelo Centro Cultural Labibe Faiad (Catalão/GO). Participou da mesa redonda O fazer Poético e do Sarau de Poesias (ambos do I FLICAT UFG) e do Festival Literário do Cerrado – FLICA (Ipameri-GO), edições I, III e IV. Mantém a Página literária do blog Recanto das Letras, do site da UOL, desde Outubro de 2008. Recebeu oito premiações em concursos literários mantidos pela UFG (a primeira em 1993), cinco premiações pelo SESI-Arte e Criatividade (nas categorias Conto e Poesia) e o Prêmio “Trabalhador da Indústria” pelo SESI. Participou de duas antologias poéticas publicadas pelo SESI – Serviço Social da Indústria e publicou os livros "Palavra Lavrada", "Transfiguração" e "Manual do Desesquecimento".

Fanpage: https://www.facebook.com/paulopazz

Deixe seu comentário

Posts recentes

Início   |  Coleção Lendas Brasileiras   |   Originais   |  Política de Privacidade   |   Blog   |    Loja    |  Fale Conosco

 

Panóplia Cultural - CNPJ 30.877.808/0001-12

Fanpage: f/EditoraPanoplia | Instagram: @editorapanoplia | E-mail: contato@editorapanoplia.com.br

Telefone: (21) 99367-3411 (WhatsApp)

Rua Wilson Barroso, 47, São Bento, Duque de Caxias / RJ

©2018-2020 by Panóplia Cultural.