Para receber novidades, inscreva-se:

Obrigado pelo contato!

Este é um blog de participação espontânea e colaborativa.

As opiniões aqui emitidas não refletem o pensamento da Editora.

Momento mágico entre mãe e filha

Por Fabiana Esteves



Laís esta semana conseguiu sair, finalmente, da ressaca literária. Com o Encantador de Livros, do Lucas de Sousa, que ela já havia lido acho que há dois anos atrás. Por incrível que pareça, com uma releitura. Em seguida, engatou outro, e mais outro. Os olhinhos brilhando novamente. E a alegria é dela, mas é minha também, me contagia. E por conta disso acabei mergulhando em nostálgicas leituras de meus próprios textos do diário de mãe e encontrei outro momento mágico entre eu e ela, como mãe e filha, é claro, adornado pelo amor aos livros. E me emocionei. Compartilho com vocês o texto e depois me digam se não estou certa… Foi ou não foi um momento mágico?


“Mãe, lê uma história para mim?” Eu quase não leio em voz alta pra ela. Perdi o hábito depois que ela começou a ler sozinha livros tão grossos quanto a Bíblia. Além disso, ela  tem o costume de dormir cedo, não acompanha as minhas leituras com a Ísis (todo dia a Bíblia, todo dia um capítulo de livro). Com ela gosto de comentar as histórias que já lemos e incitar as curiosidades uma da outra. Queremos saber sempre em que pé está a história que a outra está lendo. Mas hoje ela me pediu para ler em voz alta. Quebrou o protocolo da maturidade. Eu fiz sinal com a mão pedindo um dedo de espera e voltei com o Manoel (o de Barros) e o bordado livro que guarda meu poema preferido. Eu impostei a voz de caso pensado. Era prudente evitar o choro. Seria uma missão impossível? Nunca consegui ler este poema sem derramar um balde. Às primeiras páginas ela já fechou os olhos cansados de um fim de sexta-feira. Eu cresci o tom da palavra e ela acordou subitamente. Foi pouco. Dormiu de novo. Me ofereceu espaço para que eu terminasse a leitura como das outras vezes, soluçando:


“Meu filho você vai ser poeta.

Você vai carregar água na peneira a vida toda.

Você vai encher os vazios com as suas peraltagens.

E algumas pessoas vão te amar por seus despropósitos.”


Boa noite, Laís. Dorme com Deus. Sonhe com os anjos. E guarde as palavras do poeta.



Nas fotos acima, Fabiana Esteves e sua filha Laís.





Autoria