Para receber novidades, inscreva-se:

Obrigado pelo contato!

Este é um blog de participação espontânea e colaborativa.

As opiniões aqui emitidas não refletem o pensamento da Editora.

Mais do que um presente, um projeto

Por Fabiana Esteves



Um novo ano se anuncia e resolvi que o presente de Natal precisava ser mais do que um presente, precisava ser um projeto. Resolvi fazer eu mesma duas caixas temáticas para resgatar algumas coisas que elas gostam muito de fazer mas estavam esquecidas na pandemia, quando fomos absorvidos pelas aulas remotas e, consequentemente, pelo excesso de telas.


Na caixa da Ísis uma boneca negra com vitiligo (de crochê), pois já havia sido um pedido dela. A boneca negra é um hiperfoco que está tomando conta da vida, então acrescentei um livro sobre o cabelo crespo, tintas e lápis com diferentes tons de pele. A caixa dela não tinha enfeite, perfeita para que ela mesma possa fazer suas artes.


A caixa da Laís o tema é a Segunda Guerra Mundial, foco de interesse dela há algum tempo… Minha mãe quando soube achou pesado para a idade dela, mas eu me preocupei em escolher livros, ainda que de um tema tão adulto, infanto-juvenis, adequados à idade dela, narrados inclusive pelos próprios adolescentes. O clube de livros que assinamos sem querer me ajudou na tarefa, pois este mês o livro enviado foi o Diário de Anne Frank em quadrinhos.


Fora a alegria e a surpresa delas em não saber o que havia nas caixas, o meu processo de organização e montagem foi incrível! Quantas descobertas, quantas novidades há para as crianças e pré-adolescentes! Quanta literatura preocupada em despertar o melhor nos nossos pequenos, quantos brinquedos com propostas inclusivas e sem preconceitos! Quanta gente trabalhando para rever os conceitos do que se produz para as crianças e jovens! Eu até filmei o momento de abrir as caixas, para guardar as reações e mais tarde ver de novo as carinhas deslumbradas.


Dias depois, ainda não posso dizer que o projeto deu certo, pois a tela do celular ainda consome boa parte do dia delas, mas já rolou uma leitura em voz alta antes de dormir, uma conversa sobre o primeiro capítulo do livro, e conseguimos ver filmes que já planejávamos assistir antes mas não havia tempo livre. Mas demos tempo ao tempo... Nem eu mesma consegui começar a cumprir a minha meta de leitura para 2021… Epa, agora que lembrei que 2021 nem começou! Ainda tenho alguns dias para fechar um ciclo e iniciar outro, sem pressa, sem dramas, agradecendo pela vida (principalmente) e pela saúde…


Que o próximo ano traga a vacina, menos telas e mais encontros reais! Por aqui vamos viver os projetos que programei e os que brotarem, porque as flores mais belas brotam mesmo do cimento rígido e cinza…


Lais e Ísis, filhas de Fabiana Esteves