Antologia Digital

Olavo Bilac e seu poema
"Via-Láctea"

olavo.jpg

Olavo Bilac, Biblioteca Nacional

Olavo Brás Martins dos Guimarães Bilac nasceu no Rio de Janeiro, em 16 de dezembro de 1865. Jornalista, contista, cronista, conferencista, poeta e tradutor, foi membro fundador da Academia Brasileira de Letras, ocupando a cadeira 15 da instituição, cujo patrono é Gonçalves Dias.

Eleito o “Príncipe dos Poetas Brasileiros”, em concurso promovido pela a revista Fon-Fon (1913), foi um dos principais representantes do Movimento Parnasiano que valorizava o cuidado formal dos poemas e a rigidez das regras na composição poética.

Autor da letra do Hino à Bandeira, Bilac fundou os jornais "A Cigarra", "O Meio", "A Rua" e colaborou em vários outros jornais e revista como a "Gazeta de Notícias", "A Semana" e o "Diário de Notícias".

Aos 23 anos, noivou com a jovem poetisa Amélia de Oliveira, musa inspiradora de sua obra "Via-Láctea". No entanto, por ordem de Alberto de Oliveira, tutor e irmão de Amélia, o relacionamento foi proibido e não puderam se casar. Bilac permaneceu solteiro, assim como Amélia. Alguns amigos em comum afirmavam que o casal se comunicou por cartas, até o fim de suas vidas. 

Olavo Bilac morreu em 1918, no Rio de Janeiro, aos 53 anos de idade, deixando um grande legado para a literatura brasileira.

Trecho do Poema "Via-Láctea"

Ora, direis, ouvir estrelas, certo
Perdeste o senso, e eu vos direi, no entanto
Que, para ouvi-las, muita vez desperto
E abro as janelas, pálido de espanto

E conversamos toda a noite, enquanto
A Via-Láctea, como um pálio aberto
Cintila; e, ao vir do Sol, saudoso e em pranto
Inda as procuro pelo céu deserto

Direis agora: Tresloucado amigo
Que conversas com elas? Que sentido
Tem o que dizem, quando estão contigo?

E eu vos direi: Amai para entendê-las!
Pois só quem ama pode ter ouvido
Capaz de ouvir e de entender estrelas

Leia o poema na íntegra pelo site "Biblio", clicando aqui.

Fontes:

1. FRAZÃO, Dilva. Ebiografia. Olavo Bilac. Disponível em: <https://www.ebiografia.com/olavo_bilac>. Acesso em: 15 de maio de 2021.

​2. ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS (ABL). Disponível em: <https://www.academia.org.br/academicos/olavo-bilac/biografia>. Acessado em 15 de maio  de 2021.

3. Dias, Elizabeth de Mattos. Rio que mora no mar. A Noiva de Olavo Bilac. Disponível em: <https://rioquemoranomar.blogspot.com/2019/12/a-noiva-de-olavo-bilac.html>. Acesso em: 15 de maio de 2021.